#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

segunda-feira, 25 de julho de 2016

VISITANDO UMA VINÍCULA ORGANICA

O Chile é famoso pela qualidade do vinho que produz e Santiago é hoje um dos locais de enoturismo. São oferecidos diversos tipos de passeios, onde as vinícolas abrem suas portas para visitação e degustação cobrando por isso. Para chegar é possível usar o transporte público ou pagar a uma das agencias de turismo.  Visitei a Undurraga em outra oportunidade.  

O básico é a apresentação do vinhedos, mostrar um pouco da fabricação do produto. seguida de uma degustação. Esta será variável, dependendo do quando você pague. Na básica você é convidado a experimentar os vinhos mais simples. Em outras você é convidado a conhecer produtos mais elaborados seguido de queijos e frutos secos ou mesmo de um menu completo. A vinícula que visitamos, por exemplo oferece no verão um pic nic. Relatado aqui.

Quando pensamos em vinho nos ocorre sabor e harmonização com os pratos servidos. Mas antes de chegar a mesa é importante lembrar que o vinho é um produto agrícola, produzido no campo, a partir de uvas esmagadas. E como é feita essa plantação? Que produtos são usados para proteger as frutas?Decidimos então visitar uma vinícola orgânica, a Santa Emiliana, no vale Casablanca.


Logo ao chegarmos somos recepcionados por alpacas, gansos e galinhas. Esses animais cuidam dos campos limpando as pragas em determinadas épocas do ano. 


As galinhas por exemplo são usadas para combater um dos principais inimigos dos vinhedos: o burrito de la vid (naupactus xanthograplus). Além disso roseiras, lavandas são plantadas ao redor da plantação, com a mesma preocupação.


Tudo isso, pouco comum em vinhedos, é por conta do cultivo orgânico e biodinâmico. Vale lembrar que a agricultura orgânica é uma forma de produzir sem a interferência de aditivos químicos. Já a biodinâmica trabalha usando os conceitos de energia do planeta, ciclos da lua e materiais compostos orgânicos para fertilização das plantas e fermentação do vinho. A proposta é integrar os reinos vegetal, mineral e animal. Para fermentar o vinho usam leveduras indígenas.


Pode parecer místico, mais os resultados experimentados são impressionantes, nos dizem. Provamos o vinho Coyam, um vinho biodinâmico, e gostamos do seu sabor.

1 comentários:

Ramon Prates 26 de julho de 2016 14:03  

Não gosto de vinho, mas esse lugar parece ser bem interessante.

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO