#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

terça-feira, 26 de julho de 2016

VALPARAÍSO E VINA DEL MAR

Estas duas cidades chilenas estão a cerca de 120 km de Santiago, são próximas uma da outra, mas são completamente diferentes uma da outra.

Valparaíso é uma cidade portuária, mais antiga e não tem a mesma organização urbana de Santiago . Sua geografia é muito particular são cerca de 40 morros que se espalham até o mar onde estão dispersas centenas de casas coloridas construídas em madeira, zinco. Há quem a considere uma mistura de Olinda, pelas muitas ladeiras, com El Caminito (Buenos Aires) pelas cores das casas. Por esta originalidade, foi considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em 2003.


Fiquei com vontade de passar uns dois dias por aqui visitando lugares pitorescos da cidade entretanto, como decidimos por ir ao sul desistimos e fizemos apenas um bate e volta. Mas dessa vez pude completar o ciclo conhecendo a Casa Museu Pablo Neruda, a única que ainda não conhecia (tem post só sobre elas).


Outra característica da cidade, para facilitar a circulação das pessoas são os ascensores, existem mais de 15 deles. Subimos um deles e visitamos o Cerro Alegre. Dali tivemos uma visão geral do porto e da cidade
.

Importante destacar que aqui fica a sede do poder Legislativo do país e o Comando das Forças Armadas.

Em seguida fomos para Viña del Mar. A cidade é um balneário clássico, com forte influencia europeia. Nos contam que foi fundada por iniciativa do dono dos terreno, originalmente uma vinícola, que loteou e vendeu para que os ricos construíssem casas de veraneio, na época em que a burguesia descobriu os benefícios dos banhos de mar.

O relógio das flores, sempre muito bem cuidado, saúda os visitantes, na entrada da cidade. Ele foi construído especialmente para a Copa do Mundo de 1962, disputada na cidade. Onde fomos bicampeões mundiais. É claro que fizemos a pose clássica.


Outro ponto tradicional é o Castelo Wullf, uma construção à beira mar reproduzindo um castelo, idealizada por uma alemão e posteriormente comprada pelo governo. O local estava em manutenção.

Lembrar que estamos diante do Oceano Pacífico, outras aves, como pelicanos, gaivotas e animais como o lobo marinho estão disponíveis para a contemplação.



A orla da cidade é bastante agradável, e, apesar do inverno, havia muita gente caminhado, nas sorveterias e algumas na praia. A praia não é das mais convidativas, a areia não muito branca e em alguns pontos muitas pedras.



Outra visita é o Museu Fonck, como reliquias das antigas culturas que aqui viviam.

Fechamos o dia no Cassino Municipal. Os frequentadores, na sua maioria, são pessoas da terceira idade.

De presente o por do sol no Pacífico.

1 comentários:

Ramon Prates 26 de julho de 2016 14:05  

Legal a vista dos ascensores, não fui neles quando estive lá.

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO