#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

SAFÁRI FOTOGRAFICO

Nunca imaginei que fosse fazer um safári, mas não podia vir até o continente africano sem conhecer mais da vida selvagem. E lá fomos nós num voo até o Parque Nacional Kruger, o local tem mais de 20 mil quilômetros quadrados de vida selvagem intensa. Passear por aqui tem um jeito assim de programas do Discovery Channel, só que ao vivo. Entretanto não tem edição, é preciso paciência para contemplar a imensidão e aguardar a fauna aparecer, dar o ar da graça.

Ainda está escuro quando temos que acordar, um rápido lanche no lounge do hotel, e lá estamos nós vendo amanhecer à bordo de um jipe, vamos tentando descobrir os animais no meio da savana. O motorista que faz às vezes de guia, segue na escuta do rádio conectado aos demais carros, enquanto busca pelos animais. 

Alguns são mais fáceis de serem encontrados, outros são mais discretos e não aparecem tão facilmente. E vamos circulando na expectativa de encontrar os famosos "big five", apelido dado aos cinco grande animais da savana sul-africana: leão, elefante, rinoceronte, búfalo e leopardo.

Cenas do cotidiano por aqui são girafas dobrando o pescoço para comer folhas, gnus alheios aos seus chifres e barbilhas esquisitas, hipopótamos no lago espiando o entorno apenas com os olhos fora d'água, além de zebras, babuínos, antílopes, veados e tantos outros. Apenas sendo eles mesmos, autênticos e imprevisíveis no seu habitat.

















No final da tarde novo passeio, nova caçada fotográfica aos animais. 



Nas fronteiras do dia eles estão mais ativos pois a temperatura está mais amena. Tivemos alguns momentos de especial emoção como o encontro da família de leões ou a grande corrida atrás de cachorros selvagens que estavam na caça de veados. 


O por do sol dava  um  toque alaranjado especial ao cenário.


Os animais aqui não recebem cuidados especiais (além da proteção  dos caçadores é claro) e se alimentam naturalmente, de acordo com o seu instinto.






Dentro da reserva exstem vários hotéis de diferentes padrões. O que nos hospedamos foi amplo, confortável, rústico e acolhedor.  O melhor é que os quartos tem vista para a savana e de repente você pode deparar com uma girafa lhe olhando pela janela. Todas as refeições estavam incluídas na diária (bebidas pagas reparadamente), inclusive um lanche durante o passeio do final da tarde.

Read more...

sábado, 15 de fevereiro de 2020

JOANESBURGO E A HISTÓRIA

Só agora relato a viagem pra Africa do Sul que ocorreu no ano passado. Situado na ponta sul do continente africano o país é encantador: por lá a vida selvagem ainda reina, metrópoles e os vilarejos coexistem, praias de areia muito brancas e ondas azuis estão a poucos quilômetros de montanhas e savanas. 


As vuvuzelas ainda estão nas ruas pra lembrar que o país foi sede da Copa do Mundo de Futebol em 2010. Começamos a visita por A primeira Joanesburgo e aproveitamos o breve tempo que tínhamos para uma imersão na recente história do país. 

Do aeroporto seguimos para o Soweto, abreviatura dos termos "South Westen Townships", algo como bairros do sudoeste. Estes bairros foram fundados  em 1904 para retirar os negros da cidade, deixando-os perto o suficiente para servir de mão de obra. Espelhando a desigualdade social e racial que imperou durante o Apartheid.

Nenhum lugar tem tanta ressonância política e histórica como este. Aqui, na Vilazaki Street, única rua do mundo onde moraram dois vencedores do Prêmio Nobel da Paz: o arcebispo Desmond Tutu, em 1984 e Mandela, em 1993. Eles dividiam o endereço e o sonho de transformar o país em um lugar com oportunidades iguais para todos.



Uma visita obrigatória aqui é a casa onde viveu Nelson Mandela. 



Ela foi reformada, para buscando ser como era originalmente e abriga um pequeno museu, que recupera através de fotografias e outros objetos um pouco da vida e da luta deste homem.



A casa pertenceu ao líder anti-apartheid durante o seu primeiro casamento com Evelyn Ntoko Mase e o segundo com Winnie Madikizela Mandela. A casa foi habitada pela família Mandela até a década de 90, quando o imóvel tronou - se patrimônio publico.


O bairro, hoje considerado uma cidade, concentrou grande parte das lutas contra o racismo, transformando-se num símbolo da resistência ao Aparheid.

Visitamos a Praça da Liberdade onde estão representados em pilares os marcos da nova Constituição Sul Africana.


E o Memorial Hector Pieterson, em homenagem ao estudante e aos outros cem estudantes que foram mortos durante o embate entre a polícia durante protesto.  




Centenas de jovens sul africanos reivindicavam pacificamente o direito de estudar em suas línguas nativas, após o decreto de que as disciplinas  deviam ser ensinada apenas em inglês ou africâner. O movimento ficou conhecido como o Levante de Soweto.

Na porta a foto clicada por Sam Nzima, mostra Hector sendo carregado nos braços de um colega tendo ao lado a sua irmã Antoninette aos prantos. Ela correu o mundo inteiro e atuou como uma faísca para desencadear uma série de protestos no país e no mundo.



Não deu tempo de conhecer o Museu do Apartheid. Mas tudo aqui remete aos novos tempos de liberdade. Terminamos o dia na Nelson Mandela Square, uma praça onde há cafés, restaurantes. E referências ao homenageado de vários tamanhos.





Read more...

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

A RIDÍCULA IDEIA DE NUNCA MAIS TE VER - ROSA MONTERO - RESENHA DE LIVRO



Recontar uma vida não é tarefa fácil, especialmente se a bibliografada é uma mulher extraordinária como Marie Curie. O ponto de partida do livro é o que ela e a autora tinham em comum: a perda. Viveram ambas um bom casamento, com maridos apaixonados, ficaram viúvas e buscaram sobreviver. Trechos do belo e dolorido diário do luto da cientista são entremeados pelos relatos das dificuldades e das conquistas desta mulher que viveu a frente do seu tempo, a primeira mulher a ser laureada com o Nobel de Física, em 1903, e, caso único da história da premiação, ganhou outro Nobel, em 1911.

Ao se reconhecer no luto da cientista a autora se autoriza a falar da própria dor, como ela diz “contar a história a sua maneira usar a sua vida como parâmetro para entender a minha”. Embora fale da dor, não podemos dizer que é um livro sobre o luto, ou não apenas sobre o luto. Na realidade é o considerei como uma caixa mágica de onde vão saindo tesouros: reflexões sobre a perda, comentários sobre as relações entre homens e mulheres, fotografias históricas e pessoais, confissões, desejos, literatura O resultado é um texto cheio de emoção, que pode causar, as vezes alguma estranheza, mas sobretudo me trouxe muita identificação.




Read more...

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

AMANTIKIR - CAMPOS DE JORDÃO

Um lugar que é pura inspiração em Campos de Jordão são os Jardins Amantikir. Para quem gosta de tranquilidade e beleza.

Para chegar lá se pode tomar um taxi ou contratar um passeio. Na recepção  você recebe um mapa do local e vai visitando os diversos jardins.
Eles são organizados de forma bem harmônica, levando em conta o tipo de plantas utilizado (coníferas, capins, áridas, bromélias) ou tradições de decoração de jardins (Jardim Ingles, Jardim Frances, Jardim Chines, Jardim Japonês etc.

Nem as arvores mortas são descartadas, há um jardim de Raízes, um arranjo paisagístico como cepos de árvores mortas, existentes na área original do parque.
Espelhos d'água, pequenas pontes e lagos vão fazendo a composição com as plantas e flores.



São mais de 700 espécies de plantas harmonicamente distribuídas ao longo dos  60.000 metros quadrados abertos à visitação.
 Há locais altamente instagramáveis com esta moldura em meio as flores. Ganha ou não muitos likes?
E sem falar nos labirintos... como este labirinto de grama

Ou outro mais complicadinho de sair, deu um trabalhão para eu conseguir deixa-lo, precisei de ajuda kkkkk

É um passeio incrível para crianças, o contato com a natureza, diversão e alegria...

Tem até uma casinha na árvore... pena que a gente não possa entrar.


A lenda de Amantikir é contada como a história de uma princesa Tupi que se apaixonou pelo Sol e ele por ela, causando a ira da Lua. Enciumada, a Lua se queixou ao deus Tupã, que decidiu erguer uma enorme montanha e pender nela a indiazinha. De tanta tristeza o Sol sangrou o poente. A lua arrependida, chorou constelações, ao ver a dor do seu amado. E a princesa chora de saudades, todos os dia quando o sol nasce. Suas lágrimas formam as nascente, córregos e rios da serra. 

Daí Amantiki "a montanha que chora. Que na pronuncia lusitana virou a Mantiqueira.

Read more...

MARRAKECH EM MOVIMENTO


Entramos na Medina de Marrakech, pela Bab Agnaou, uma das suas 13 portas. Seu formato é bem interessante: faixas alternadas de tijolo e pedra rodeando um arco em ferradura. A Medina aqui tem as ruas menos estreitas que as de Fez, mas o movimento é intenso.
Começamos conhecendo uma farmácia de produtos feitos com ervas e plantas tradicionais do Marrocos usados na medicina e na estética, como o famoso óleo de argan ou o que é moda do momento, ghassoul, uma argila vulcânica das montanhas do Atlas.


O transito na cidade, especialmente no centro histórico, é um caos. Carros, misturam-se a motos (quase ninguém usa capacete), charretes para turistas, nosso guia definia com uma gíria em português "muvuca".


Aqui estão inúmeros suks, vendendo todo o tipo de mercadoria. A alegria dos turistas interessados em novidades.



 Terminamos o dia na famosa praça Jemaa el Fna, aqui seria o coração da cidade. Uma imensa praça, uma das maiores do mundo, considerada como patrimônio cultural imaterial pela Unesco. 

Dezenas de barracas, a maioria vendendo comidas típicas. Um verdadeiro festival gastronômico. 

Você encontra também personagens folclóricos,como encantadores de serpente, macaquinhos amestrados, dançarinos típicos. Confesso que não caminhei muito pela praça, estava resfriada e cansada, optei por ficar em um dos cafés ao redor, bebendo água e fotografando do alto.
Era nossa despedida, no dia seguinte cedo estaríamos na estrada para chegar ao aeroporto de Casablanca e partir.




Marrocos um país encantador....

Read more...

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO