#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

CANTERBURY - MISTÉRIO E FÉ


A visita a Canterbury me fiz conhecer um pouco mais da história do cristianismo. Digamos assim o seu lado inglês.



Esta pequena cidade já era considerada importante desde os tempos da Roma antiga e ganharia mais destaque na história quando o papa Gregório I, em 595, encaminha o monge Agostinho (não o famoso Santo Agostinho de Hipolito), para redirecionar o cristianismo britânico. A religião ai era fortemente influenciada pelo paganismo anglo-saxônico e independente da Igreja de Roma. O rei Etelberto permitiu que os missionários pregassem livremente e ofereceu terras para fundação de um mosteiro fora das muralhas da cidade (nas fotos as ruínas desta edificação). 





Aos poucos a igreja cristã inglesa foi modificando boa parte dos costumes da Igreja celta e foi cedendo a forma latina do cristianismo. Agostinho foi nomeado arcebispo.



Mas a história da igreja bretã ainda tem muitas outras aproximações e afastamentos da Igreja Católica Romana, até separar-se definitivamente, em 1534, tornando-se a Igreja da Anglicana, por iniciativa do rei Henrique VII, da casa de Tudor. Para saber mais leia aqui.

A imponente catedral gótica de Canterbury, hoje a sede da Igreja Anglicana, é a grande atração da cidade e destino de peregrinos do mundo todo.




Além da beleza das colunas há muitas histórias impressionantes, relatos de morte e fé. A principal delas é o assassinato cruel do arcebispo Thomas Beckett a mando do rei Henrique II. Posteriormente canonizado, as histórias de milagres e intrigas envolvendo a sua morte inspiraram obras como "Os contos de Canterbury", de Geroffrey Chaucer.




Assim, visitar a catedral envolve um clima de mistério e beleza. Os vitrais são belissimos e escaparam de ser destruídos durante a II Guerra Mundial.



Pelas ruas históricas da cidade construções medievais, hoje transformadas em lojinhas, cafés muito charmosos.


Para fechar o dia perfeito, fomos a uma cidadezinha de praia para o por do sol. 



Diferente das nossas, as praias daqui são geralmente de seixos e as casinhas são para a vestir as roupas de banho.



Mas bom mesmo foi celebrar a nossa amizade e com delícias do mar - ostras frescas e camarão -  e uma cervejinha gelada. Um domingo perfeito.


2 comentários:

Bel 10 de dezembro de 2014 10:30  

Que delícia!
Das vantagens de se viajar com amigas... e amigas que conhecem os lugares! ;)
<3

Ramon Prates 10 de dezembro de 2014 12:02  

O lugar parece ser bem bonitinho mesmo.

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO