#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

quinta-feira, 18 de julho de 2013

O REI TINHA RAZÃO


O fascínio por estas montanhas vem de muito tempo, dizem desde que os primeiros navegantes que exploraram além da baía da Guanabara. Mais tarde, quando começaram  a mapear a região foram nomeadas de Serra dos Órgãos por conta da semelhança com  os tubos dos órgãos exuberância das catedrais européias.  

A fama destas exóticas montanhas cobertas da mata atlântica cresceu ainda mais quando D. Pedro I se apaixonou pela região e comprou um vale que mais tarde originou a cidade de Petrópolis.  A família imperial aproveitava por aqui para descansar e fugir do calor intenso da cidade no verão.

E ainda hoje a cidade é refugio de muitos em busca do clima ameno e tranquilisade. Ficamos hospedados num destes paraísos particulares, acolhidos como príncipes no sítio de uma prima, uma simpática  casa com flores na janela.

A cidade hoje se espalha pelas montanhas, e atrai muitos visitantes pelas preciosidades históricas ou pela compras nas muitas malharias. A qualidade da água favoreceu a fabricação da primeira cerveja produzida no Brasil - Boemia - é possível visitar a fábrica e receber dicas de harmonização.

Fomos também a vizinha Teresópolis para conhecer o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, um passeio incrível. A exuberância da vegetação Mata Atlântica pode ser explorada em muitas trilhas: leves, moderadas ou radicais.
 Logo na entrada uma queda d'água 





A exuberância da vegetação Mata Atlântica pode ser explorada em muitas trilhas: leves, moderadas ou radicais.Como tínhamos pouco tempo fizemos apenas duas caminhadas. Uma na trilha suspensa, classificada como leve, pois é realizada em uma passarela elevada entre a copa das árvores com piso de madeira e corrimão  (pena que estivesse parcialmente interditada) e não pudemos ter acesso à cachoeira Ceci e Peri).







Outra mais intensa, chamada de Cartão Postal, com 1.600 metros em aclive, que levam a um mirante com uma vista incrível da serra dos Órgãos bem do meio da mata Atlântica. Apesar do esforço os cinqüentões conseguiram chegar ao topo e mereceram o descanso a maravilhosa visão do Dedo de Deus.



Os mais radicais podem  fazer  uma trilha mais intensa caminhando de Teresópolis a Petrópolis, 28 quilômetros percorridos em vários campos de altitude, onde a vegetação, o terreno e o clima mudam com freqüência. Uma caminhada pesada para os mais resistentes, não era o nosso caso.

Descemos a serra com a certeza de que o rei tinha razão na sua predileção por aquela região tão aprazível.




4 comentários:

Vera Lucia,  19 de julho de 2013 00:25  

Que maravilha. Coisa mesmo de Reis e Rainhas que somos. Quero ver de novo.

Bergilde 22 de julho de 2013 04:45  

O Rio de Janeiro continua lindo...e lindas são estas suas recordações de um turismo que vai além dos lugares tradicionalmente difundidos pela mídia.Parabéns pelas imagens!
Abraço afetuoso!

Ramon Prates 22 de julho de 2013 17:12  

Você já pode montar um blog só de viagens!

Tucha 22 de julho de 2013 20:04  

Veroca vc é uma grande companheira de viagem...
Beregilde viajar e descobrir o tradicional e o alternativo é muito bom
Ra quem sabe possa fazer isto qdo me aposentar

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO