#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

segunda-feira, 16 de abril de 2012

GALÁPAGOS - MAR


Desta vez fomos aventureiros com planejamento, viajamos com tudo organizado por uma agência. Como não optamos por realizar os cruzeiros (por conta do $$$) as visitas ao Parque Nacional de Galápagos foram feitas são feitas através de passeios em iates, com todas as informações fornecidas pelos guias oficiais do parque. Tudo muito profissional: equipamento de mergulho, toalhas, um almoço saboroso...
O primeiro passeio marítimo foi a ilha Seymour, umas das menores do arquipélago, mas é o lar de aves marinhas e numa caminhada encontramos várias delas: fragatas, pelicanos, atobás, piqueiros das patas azuis.




Os animais aqui parecem pousar para as fotografias, afinal são a grande atração. Como esta iguana descansando à sombra sem se incomodar com os cliques.

Depois da caminhada o mergulho de superfície para contemplar peixinhos coloridos, cardumes de arraias, iguanas marinhas.


Mas a grande emoção foi em uma das praias o contato com os leões marinhos, muitos, de todos os tamanhos, brincando alegremente na água, ou rolando na areia. Os mais animados são os pequeninos que se aproximam para cheirar os nossos pés.




No dia seguinte nova navegação, desta vez até a Islã Bartolomé, no caminho cruzamos com bandos de golfinhos, gaivotas e até um tubarão.

Na ilha a paisagem é impressionante, a terra escura destaca a formação vulcânica do arquipélago, dando ao lugar um aspecto inusitado. Os tons de azul do oceano Pacífico fazem um belíssimo contraste.

O desafio foi subir até a parte mais alta da ilha. O "caminho" feito em madeira, que torna a subida mais fácil, foi doação de uma equipe cinematográfica que uso a ilha como cenário para aventura de piratas. As ilhas já foram, em outros tempos, ponto de repouso de piratas.


Paradas estratégicas nos mirantes para o descanso e sobretudo para contemplar a paisagem e observar de vários ângulos a famosa Rocha do Pináculo.

A subida sob o sol intenso foi dura mas conseguir chegar até o topo. Caminhado devagar e bebendo muita água, chegamos até o farol.





A surpresa da praia são os pequenos pingüins, que não consegui fotografar e no mergulho as formações rochosas evidenciam a decida das larvas vulcânicas até o mar.
Lamentavelmente minhas fotografias não ficaram boas, pelos limites da fotógrafa e da câmara. Mas há muitas e muitas imagens do arquipélago na internet.
A ideia deste relato não é dar informações detalhadas para que vai a Galápagos, mas passar um pouco da emoção de ter estado lá. E lembrar a responsabilidade que temos de preservar paraísos que a natureza preparou para o nosso deleite.

4 comentários:

Bergilde 19 de abril de 2012 05:43  
Este comentário foi removido pelo autor.
Bergilde 19 de abril de 2012 05:43  

Seguindo seu contar através desses belíssimos posts e imagens neles apresentadas...Cada vez mais encantada!Galápagos o mais importante laboratório vivo de biologia do mundo.Imagina pisar onde Darwin pisou?Lindo,simplesmente deslumbrante!

Ramon Prates 21 de abril de 2012 11:14  

Pena que não conseguiu tirar fotos dos pinguins, mas as fotos estão bem legais. O lugar é bem bonito.

Bel 4 de maio de 2012 08:53  

Mas a experiência e a emoção são o que existe de mais importante!!!
É claro que informações práticas são bem vindas, mas relatos passionais são, para mim, bem mais interessantes!!!

Bjooo

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO