#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

terça-feira, 1 de março de 2011

O LUXO E O LIXO

Nada de novo na festa do Oscar, premiações previsíveis, piadas sem graça, tapete vermelho, estrelas em babados e brilhos. E nós, brasileiros torcemos outra vez, por um premio que não veio.

Esqueçamos o luxo e vamos ao lixo. O documentário é duro, poético e envolvente. A idéia é acompanhar o inusitado projeto do artista plástico Vik Muniz, que resolve construir suas obras em interação com os catadores de material recicláveis do lixão Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro.


Quem já visitou um lixão sabe que os locais são chocantes. Lixo, urubus, gente garimpando, o cheiro insuportável. Neste cenário inóspito o artista, com sua idéia na cabeça, estabelece contato com os catadores, buscando personagens significativos, que possam ser retratados. E ai o documentário é essencial para a construção da obra do artista, pois a matéria prima que dá aos quadros o status de arte são mesmo as histórias.

O desafio é grande, transformar vida em arte. Histórias distintas daqueles que buscam no lixo, um trabalho à margem da sociedade, a sua sobrevivência digna, são registradas. Impossível não se emocionar com os relatos, com os sonhos (ou a ausência deles) dos catadores. E, através dos dramas individuais vamos identificando as barreiras quase intransponíveis entre as classes sociais. E o debate vai atravessando todo o filme, sem ser piegas ou paternalista.

Depois de fotografados, a foto é revelada, projetada em tamanho gigante no chão e os próprios catadores fotografados passam a reconstruir suas imagens com material retirado do lixo. O resultado final é belo, mas o melhor de tudo são mesmo os depoimentos, colhidos com muita sensiblidade, de forma natural, trazendo a humanidade de cada personagem, quebrando preconceitos e recordando que a dignidade humana permanece mesmo em situações tão precárias.



3 comentários:

Maína Pinillos Prates 2 de março de 2011 08:12  

Tião estava lindo na festa do Oscar ;)

Bergilde Croce 4 de março de 2011 07:17  

E se não fossem os artistas pra conseguirem tocar os olhos e o coração das pessoas diante da crua realidade...São mesmo imagens fortes,mas desse modo conseguem atirar a atenção massiça .
Abraços e bom fim de semana pra você!

RAMON(ES) 9 de março de 2011 20:38  

Ainda não fui assistir, mas o documentário que ganhou o Oscar parece ser bom também.

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO