#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

quarta-feira, 9 de março de 2011

MULHER MARAVILHA E SUPER HOMEM


Ontem foi o dia internacional da mulher, homenagens diversas. Entretanto, no cotidiano, a violência contra as mulheres é assustadora. Ao sabermos que a cada 15 segundos uma mulher é agredida no Brasil, ficamos perplexos. Violência que pode ocorrer em espaços públicos e especialmente no espaço doméstico, executada muitas vezes por aqueles com quem a mulher tem vinculo de parentesco natural (pais, tios, irmãos), civil (esposos) ou afetivo (namorados, amantes).

Penso então nestes homens para quem a violência é a forma de se comunicar, de se impor. Foram pouco estimulados a expressão dos afetos, com beijos, carinhos, conversas. Com eles não é na “base do beijo, na base do amor”, da conversa. As frustrações são transformadas em raiva, agressividade e ciúme. E estas agressões são destinadas a outros homens e especialmente para as mulheres.

Para viver, precisamos dos cuidados e do amor de outras mulheres e homens, nós mulheres desejamos o amor dos homens. E tenho certeza: eles não param de pensar em nós. Como buscar então uma convivência menos hostil. Lembro estão dos versos de Gil em Super Homem, a canção, que diz que o feminino não é só atributo da mulher, pode ser de homem.

Que possamos equilibrar as lados masculino e feminino e dosar, razão, sensibilidade, agressividade, ternura, determinação e doçura. E ai quem sabe a mulher maravilha possa fugir com o super homem, para se amarem ou quem sabe apenas fazer sexo, desde que consensual e protegido pelo preservativo.

Deixo hoje um beijo: para todas as mulheres e para os homens que amamos. Segue abaixo a melhor porção de Gil:


Um dia vivi a ilusão de que ser homem bastaria
Que o mundo masculino tudo me daria
Do que eu quisesse ter
Que nada, minha porção mulher que até então se resguardara
É a porção melhor que trago em mim agora
É o que me faz viver
Quem dera pudesse todo homem compreender, ó mãe, quem dera
Ser o verão no apogeu da primavera
E só por ela ser
Quem sabe o super-homem venha nos restituir a glória
Mudando como um Deus o curso da história
Por causa da mulher



6 comentários:

Bel 9 de março de 2011 19:20  

Mais das vezes eu leio seus posts e não comento, porque o tempo só me deixa ler no reader... Mas esta música de Gil é mesmo um primor! Muito além do que pode compreender a vã filosofia de quem compôs o hit do carnaval 2011 (Eca!)

Bjoooo

RAMON(ES) 9 de março de 2011 20:29  

Gostei do título do texto.
ehehehehe

Monica Loureiro 12 de março de 2011 23:36  

Eu amo esta música!
Sempre me dá uma paz danada...

Adriana Alencar 13 de março de 2011 18:03  

Olá!
Cheguei aqui através do blog da Bergilde e gostei de ver um site que aborda a maturidade, ao invés de moda ou outros interesses de pessoas mais jovens. Tenho 40 anos e entendo como o tempo pode nos influenciar e mudar e creio que poderemos trocar muitas idéias sobre isso.
Estarei sempre passando por aqui!
Beijo
Adri

Bergilde Croce 14 de março de 2011 05:24  

Tucha,acertaste em cheio porque também gosto demais dessa canção e nos momentos em que me sinto cansada da lida feminina diária é uma daquelas que logo me vem em mente e começo a murmurar sei lá porque!!!

Georgia 14 de março de 2011 12:45  

Nossa, como ele estava novinho nessa foto.

Te desejo uma linda semana e obrigada pela visita


Bjao

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO