#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

terça-feira, 30 de novembro de 2010

12 LIVROS EM 12 MESES - NOVEMBRO

A PROVA DO MEL
Salwa Al-Neimi
Objetiva, 2009

Para nós ocidentais as mulheres árabes tem certa aura de mistério, protegidas com o “hijad” , ou, cobertas pelas burcas, deixando à mostra olhos expressivos. Uma série de lançamentos chegaram as livrarias nos últimos tempos, uma espécie de sub-gênero literário, que poderíamos apelidar de “mulheres oprimidas”. São relatos de mulheres mulçumanas que sofrem nas mãos de homens e de sistemas políticos cruéis. As capas dos exemplares são parecidas, mulheres de belos olhos escondidas atrás dos polêmicos véus.

O livro que resenho agora foge um pouco deste padrão, é anunciado como um romance erótico, e, por conta disto, proscrito dos paises árabes. Coerente com a proposta o visual da capa, é outro. E foi justamente esta diferença que me despertou para lê-lo.



Escrito em primeira pessoa, por uma poeta e pesquisadora síria residente em Paris. Convidada para participar de um colóquio sobre a literatura erótica árabe, apaixona-se pelo tema e começa a estudar com afinco antigos livros eróticos daquela cultura. E, enquanto se aprofunda nos estudos, mergulha cada vez mais em experiências sexuais, com parceiros a quem designa com codinomes como “Pensador”, “Viajante”, “Editor”.
Desafiando peceitos islâmicos e tabus da sociedade contemporanea, ela reconta num tom confissional suas vivências com os prazeres do corpo: "De tudo que li, estudei, aprendi e fui ensinada, nada sobrou em minha mente a não ser a palavra desejo e o prazer de saciá-lo." Mescla suas experiências com relatos das histórias que ouviu de amigas e confidentes.

A pretensão é fazer um retrato do lugar do sexo na sociedade árabe moderna e sua relação com a longa e rica erótica literatura. Mas há uma grande diferença entre intenção e gesto, o que era para ser um mosaico de impressões, poesia e revelações torna-se um relato repetitivo e desinteressante. Falta a autora a capacidade de um bom desenvolvimento de texto. A bela literatura erótica árabe merecia uma melhor homenagem.

5 comentários:

Bel 30 de novembro de 2010 20:00  

Vixe, bateu com força, hein? Eu tava até com vontade de ler, mas depois da sua opinião no parágrafo final... Me inclua fora dessa!

Mas gostei da capa.

Bjooo

RAMON(ES) 1 de dezembro de 2010 08:18  

Gostei da capa, mas não me interessei pela história.

Georgia 1 de dezembro de 2010 09:48  

Gostei da capa, mas como vc relatou a falta de desenvolvimento nos textos ...


Bjao

O que elas estao lendo!? 2 de dezembro de 2010 06:29  

E hoje viemos até aqui para te convidar para ler o desafio que lancamos no blog este mês: Me convenca em 3 frases porque devo ler este livro.

Neste mês super agitado nada como uma super dica relâmpago de um bom livro como presente de natal.

Te esperamos lá.

Abracos

Bergilde Croce 3 de dezembro de 2010 07:00  

Realmente bela capa,mas se lendo o conteúdo não corresponde à proposta da autora divulgada na mídia(porque já ouví falar bem dela nos debates de tv italiana também) de nada vale buscar por ele aqui.Confio no seu ponto de vista crítico.
Abraço amiga e bom fim de semana pra você!

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO