#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

CONTRA A INTOLERÂNCIA RELIGIOSA


As religiões constituem uma das construções de maior excelência do ser humano. Elas trabalham com o divino, com o sagrado, com o espiritual. Mas elas não são o espiritual. Espiritualidade é outra coisa. As religiões podem se substantivar e se autonomizar, articulando os poderes religiosos com outros poderes, no jogo nem sempre claro de interesses.

Leonardo Boff - Espiritualidade

A espiritualidade é sempre uma experiência de mudança interior, de comoção do coração, que tem pouco a ver com doutrinas e dogmas. Ela é uma dimensão de cada ser humano, e se traduz "pelo amor, pela compaixão, pela escuta do outro, pela responsabilidade e pelo cuidado como atitude fundamental" (Leonardo Boff).

A melhor religião, disse o Dalai-Lama, é aquela que lhe faz bem. E assim como gostamos que respeitem o caminho religioso que adotamos, devemos também respeitar o que o outro segue. A paz, o diálogo entre as religiões evidenciam o nosso elo com o divino.

Celebramos ontem, em Salvador, o Dia de combate à Intolerância Religiosa. E o nosso desejo é que nunca voltem a acontecer, como vimos em terras baianas, agressões à pessoas por conta das diferenças religiosas. Que os nossos rituais, orações, devoções, cultos sejam respeitados e possamos demonstrar sempre a paz e a harmonia como reflexo da nossa prática religiosa.


5 comentários:

Dalva 22 de janeiro de 2010 14:59  

É uma pena que as pessoas usem até a religião para demonstrar sua intolerância. Toda intolerância é burra, mais ainda quando se trata de um assunto tão pessoal quanto religião.

Bjs.

RAMON(ES) 23 de janeiro de 2010 17:47  

AS vezes parece que religião acaba trazendo mais problemas do que soluções para o mundo.

Dan 24 de janeiro de 2010 12:31  

Oi Tucha,

Uma das metas a ser alcançada pelo homem é a tolerância em todos os niveis...


Abraços

Georgia 25 de janeiro de 2010 06:34  

Tucha, vc nao queira saber o que acontece no resto do mundo. Se mata até por isso como se eles fossem os donos da verdade.

Bjao

Bergilde Croce 26 de janeiro de 2010 08:42  

Precisamos reforçar esse conceito ético de respeitar a diversidade religiosa a fim de evitar uma nova grande guerra.O essencial é o indivíduo crer com sinceridade e viver com dignidade.O aferro exagerado à letra da lei é a principal causa da dissenção religiosa-"A letra mata,mas o Espírito vivifica"(IICORÍNTIOS:3, 6).Se a gente coseguisse ver a religião como uma só e as igrejas-sociedades dos credentes-diversas mas em sincronia...Tantos conflitos deixariam de existir! Abraços,Bergilde

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO