#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

APRENDENDO



Hoje desaprendo o que tinha aprendido ontem
E que amanhã recomeçarei a aprender.
Todos os dias desfaleço e desfaço-me em cinza efêmera:
todos os dias reconstruo minhas edificações, em sonho eternas.

Esta frágil escola que somos, levanto-a com paciência
dos alicerces às torres, sabendo que é trabalho sem termo.
E do alto avisto os que folgam e assaltam, dono de riso e pedras.
Cada um de nós tem sua verdade, pela qual deve morrer.

De um lugar que não se alcança, e que é, no entanto, claro,
minha verdade, sem troca, sem equivalência nem desengano
permanece constante, obrigatória, livre:
enquanto aprendo, desaprendo e torno a aprender

Cecília Meireles

Vou pedir licença a Carlucha do Um pouco de tudo e de tudo um pouco para repetir o poema da Cecília que ela postou.

E que estou (ou melhor estamos, eu e a família) aprendendo a conviver com o envelhecimento dos nossos pais e tios. Muitos referenciais teóricos, nos falam dos aspectos do envelhecer: os cuidados e das recomendações e a gente tenta seguir. Fizemos modificações na casa dos meus pais, corrimão nas escadas, barra nos banheiros e tal, ai, minha mãe resolve subir numa escada e buscar enfeites de Natal no maleiro. É assim, como cada pessoa é única, acompanhar e cuidar também são. Temos então de apender a lidar com cada situação e ir aprendendo um pouco mais com elas.

Agradeço o carinho de cada comentário no post anterior, vocês tentaram compartilhar comigo suas experiências de cuidado e foram solidárias com nossos pequenos e grandes dramas cotidianos. E com estas experiências e a nossa vamos erguendo com paciência os alicerces da nossa vida em comum. Minha mãe está em processo de recuperação, amanhã terá nova consulta médica.

Que Deus nos abençoe e inspire no aprendizado de viver. Para que possamos compreender que " a vida é bela e só nos resta viver", mesmo com os limites e as dificuldades que a idade impõe.

7 comentários:

Carlucha 9 de dezembro de 2009 07:28  

Adaptar-se as mudanças é uma condição necessária para o nosso crescimento. A vida é movimento. Estamos sempre em constante mutação: nosso corpo, nossas relações, nossas idéias...
"Na Natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma."
Gosto de pensar como Lavoisier, que estou em transformação... :))
Quanto mais perdemos em mobilidade e vigor físico, mais ganhamos em percepção e sensibilidade...
Temos novos limites para aceitar é verdade, mas como vc mesma disse: A vida é bela e só nos resta viver! Vivamos então da melhor maneira que pudermos... Apreciando cada detalhe e nos superando sempre!
Um dia de paz e superação para vcs, Tucha! Fiquem com Deus! Bjos

Bel 9 de dezembro de 2009 09:23  

É verdade, estamos cada dia aprendendo e desaprendendo. Só que essa aprendizagem está sendo dolorida...

Bel 9 de dezembro de 2009 09:23  

É verdade, estamos cada dia aprendendo e desaprendendo. Só que essa aprendizagem está sendo dolorida...

Bergilde Croce 9 de dezembro de 2009 10:15  

É amiga, a vida é mesmo assim,passamos tanto tempo aprendendo a viver simplesmente,que raramente pensamos no envelhecimento.Saber envelhecer exige conhecimento para suportar com coragem essa etapa na nossa trajetória terrena e hoje com todos os obstáculos que nos permeiam a longevidade deve se sentir feliz quem consegue atingi-la!
Adorei a reflexão!Abraços,Bergilde

Paula 9 de dezembro de 2009 13:11  

Tucha,
A concivência com pessoas mais velhas traz muito aprendizado, imagina se são nossos próprios pais!
Ah, e o Projeto é 12 Livros em 12 Meses, não em 15!
Seu nome já tá lá na página do projeto: http://diarioleituras.blogspot.com/
Bjos,
Paulinha

D'Artagnan 21 de dezembro de 2009 01:00  

Arruma as tralhas, meu irmão, e te preparas.
Põe na mochila canha, mate e violão.
Deixa a tristeza nos limites da cidade.
E, vem lavar no Guassupi teu coração.

Abre teu peito, descarrega alguma mágoa.
Atira na água o que não queres carregar.
E então verás, que no convívio “guassupiono”,
Valeu à pena envelhecer pra remoçar.

Abraça os filhos, dá um beijo em tua amada.
Porque os amados com certeza voltarão.
Retemperados de esperança e de saudades.
Com a alma aberta e mais amor no coração.

Vera Lúcia

D'Artagnan 21 de dezembro de 2009 01:08  

Hoje é dia do teu aniversário, Parabéns! Parabéns!


Fazem votos que vás ao centenário
os amigos sinceros que tens.

Reunidos neste dia,
de tão grande alegria,
desejamos que as bênçãos de Deus
caiam todas sobre os dias teus...

E que em data igual a esta,
haja sempre a mesma festa;
cada um renovando
os votos que hoje faz
de mil venturas e de Paz!...

(Autoria Desconhecida)Fazemos Nossa.

Beijos
Vera Lúcia e Família

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO