#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

terça-feira, 2 de junho de 2009

COM QUE ROUPA

Não posso me dar ao luxo de delírios de consumo. Tenho que fazer exercícios mirabolantes de economia para que o salário mantenha “casa, comida e roupa lavada”, para três.

Acontece que recebi um convite especial pra sair e fiquei cantarolando “com que roupa eu vou ao samba de você me convidou.” Qual a mulher que tem a roupa certa quando precisa? Um guarda roupa cheio de nada, como a personagem de Mulheres Alteradas, da Maitena
.


Então vou à tentação das vitrines. A diversidade das tendências da moda é impressionante, e assim o que escolher? O dificil exercício é buscar o que é mais adequado a minha idade, ao meu tipo físico, ao meu estilo.

Parece que as estilistas esquecem-se das mulheres de meia idade. A maioria das roupas é criada para vestir jovens. Temos que garimpar para conseguir algo adequado e moderno, elegante, com o comprimento certo, não nos envelheça, nem nos deixe ridículas vítimas da moda.

Depois vem a adequação ao tipo físico. Reconheço que estou um pouco acima do peso, especialmente na circunferência abdominal.
Gloria Kalil diz em Chik: um guia básico de moda que a regra número um neste caso é perder a barriga. Não é tão fácil sem uma ajuda de um profissional, desaparecimento de barrigas exigem sacrificios e investimentos. Até lá sou seguir os conselhos de Kalil:
. lenços, colares e detalhes que chamem atenção para a região do colo e pescoço;
. efeitos blasés ou leves drapês que disfarcem a barriga;
. vestidos retos e soltos;
. taillers e conjuntos em que a parte de cima cubra a de baixo
. calça de cintura no local;
. roupas de cores escuras;
. lingeries de contenção.
Com algumas opções nas mãos, vamos à prova do espelho. Vocês já repararam o quanto são cruéis os espelhos de cabine de lojas. Parece que por existerem luz demais ou ficamos muito perto, os detalhes que queremos esquecer ficam destacados. Está senhora gordinha, branquinha ai sou eu?

Nada fica exatamente bem. Mas faço a opção por um vestido solto com uma estampa de inspiração indiana azul cobalto. A cor me favorece e a leveza do tecido disfarça o fato de estar acima do peso, e o estilo é adequado a este lado meio hippe que tenho. Enfim espero ficar do jeito que ele gosta.


As ilustrações foram escaneadas são da revista Claúdia, a autora é Maitena.

3 comentários:

Bel 2 de junho de 2009 17:52  

Hummm... "do jeito que ele gosta"... isso foi sugestivo!
Desejo que o convite gere momentos prazerosos!

beijooooo

Bergilde Croce 3 de junho de 2009 09:03  

Adorei as dicas pois em breve irei a um casamento super chick e ainda nao decidi o que usar.Abraços,Bergilde

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO