#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

FEMININO

Na medida em que fui tomando consciência do feminino, foi me incomodando que a minha tradição religiosa valorizasse tanto o masculino.

No Livro Sagrado não há uma descrição da divindade, ao ser perguntado pelo seu nome diz apenas Eu sou (Javé). Existe a proibição de fazer imagens do divino. Entretanto, no imaginário de quase todos, a imagem do divino é masculina.


Deus é um mistério sem fim, mistério tão grande que não há nomes que se lhe possa aplicar, nomes são gaiolas.(Rubens Alves)

Um sacerdote amigo meu me explicou que a palavra em hebraico para designar a terceira pessoa da Trindade Divina é “Ruá”, que é feminina: Brisa. Assim a divindade é homem, mulher, jovem, velho.

E se é Brisa, Vento Ele/Ela não fica preso a nenhuma das gaiolas que as religiões tentam lhe pegar: rezas, terços, novenas, orações, mantras, promessas, oferendas, templos, terreiros. Ele/Ela está sempre além das palavras, além dos gêneros, além das nossas limitadas representações.

PS - A pintura é de Michelangelo, a foto é da minha amiga Vitória Cristina Aranha, citação de Rubens Alves são do livro "Um céu numa flor silvestre", Ed. Verus

1 comentários:

Bel 4 de fevereiro de 2009 09:23  

E ainda mais tendo tantas decepções com a figura masculina... dá mais vontade de valorizar o feminino na divindade. É complicado pra minha cabeça, você pode entender os motivos...

Beijoooo

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO