#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

OS MAPAS E OS SONHOS

Menina amava de estudar geografia, identificar os países nas fotografias dos livros, viajar através dos mapas, descobrir acidentes geográficos, praias e baías recortando, rios bordando o interior. A imaginação guiava estas viagens e sonhava que um dia elas poderiam ser de verdade.

Lembro muito pouco da primeira viagem, acredito que tinha 5 ou 6 anos, fomos de Ilhéus à Salvador de navio, passamos a noite navegando e foi lindo descortinar a cidade nas luzes do amanhecer. Uma imagem tão forte que permaneceu na memória para sempre.

Adolescente, cruzei as fronteiras do meu estado indo ao Rio de Janeiro, um encantamento. Achei (e continuo achando) cidade mais bonita do mundo (depois de Ilhéus é claro). Toda aquela luminosidade, a Baia de Guanabara, o Pão de Açúcar, o Corcovado, Copacabana.

Os descobrimentos geográficos se seguiram a cada viagem, e voltava aos mapas para planejar novas descobertas. E cada vez que olho a representação do globo terrestre me dou conta do quanto há ainda para conhecer.

Nesta última v
iagem, além navegar pelo Tamisa e contemplar o Tejo, fui ao ponto mais ocidental do Continente Europeu, o Cabo da Roca, descrito por Camões, em Os Luzíadas, “onde a Terra se acaba e o mar começa”.






O lugar é incrível, um farol, um marco com os dizeres de Camões e uma vista deslumbrante. Vejam as fotografias.










Existem também lugares criados pela geografia, são as coordenadas geográficas, as linhas imaginárias traçadas no globo terrestre que nos permitem localizar os lugares da Terra: os paralelos e os meridianos.

Há dois anos estive na linha do Equador, nas cercanias de Quito, e, agora nos arredores de Londres, o Meridiano de Greenwich, que, por convenção, é a referencia para os fusos horários.

O passeio até Greenwich é bem agradável, a linha está num belo parque onde se situa o Observatório Real , um planetário, com bela vista da cidade.


Aqui pagando o "mico" da fotografia com um pé em cada lado do meridiano.
E que a viagens continuem a acontecer, afinal o mundo vasto mundo, tem paisagens maravilhosas a desfrutar. E você também gosta de explorar e descobrir novos lugares ?

6 comentários:

João Menéres 22 de outubro de 2011 16:49  

Que triste notícia me dás pelo facto de a minha exposição já não estar patente !
O que estava combinado com a Directora ( Drª Jane Palme ) é que estaria até 28 de Outubro.
Tanto assim, que o meu filho mais velho, a minha nora e duas netas que a esta hora estarão a chegar ( ou até já chegaram...) a Salvador, amanhã, Domingo, iriam ver a exposição ! E a Directora sabia deste facto.
2ª feira seguem para a Praia do Forte e Ilhéus...

VAMOS AGORA À TUA POSTAGEM :

Então do Cabo da Roca não trouxeste o DIPLOMA ?
Até eu o tenho, amiga !...
Mas nunca me lembrei de me colocar em dois fusos lá em Greenwich !
Mas rebolei-me no gramado !!!

Um beijo grande e desculpa teres ido à Misericórdia para nada. Já agora: Nem te deram o Catálogo, ao menos ?

Georgia 23 de outubro de 2011 04:43  

Marta querida, que lindas fotos e imagino a emocao ao navegar em águas de Camoes e colocar os teus pés nos lados de cada fuso horário.

Bjao

Bergilde 23 de outubro de 2011 11:38  

Tucha,um carinhoso abraço acompanhando com você neste maravilhoso roteiro turístico.Ví as fotos e relatos anteriores e me deliciei com cada detalhe de sua acurada descrição.

João Menéres 23 de outubro de 2011 17:09  

Por favor vai ver um novo COMENTÁRIO que vou escrever AGORA na minha postagem de ontem.

Um beijo.

Dalva 24 de outubro de 2011 11:25  

Oi, Tucha!

Descobrir o vasto mundo é mesmo um privilégio... Adoro viajar contigo nestas postagens, com suas lindas fotografias!

Bjs.

Bel 25 de outubro de 2011 14:56  

Mico, nada! Não é todo mundo que pode por um pé no ocidente e outro no oriente ao mesmo tempo! ;)

Não fomos ao Cabo da Roca... fico me devendo mais essa!!!

Beijoooo

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO