#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

UM DIA DE SURPRESAS


Quando sai pela manha do hotel a cidade parecia fantasma, muito pouca gente nas ruas. Apenas turistas que fotografavam o acontecimento. Nos haviam avisado sobre o feriado para realizaçao do censo, mas nao imaginava que seriam tao radicais. Lojas, restaurantes, museos, estavam fechados. Apenas o sistema de transporte funcionava.

Sem saber da dimensao da parada fui ao Tigre, um pequeno municipio a 32 quilometros da capital, cuja atraçao é o delta do rio Paraná, ou delta do Tigre. Identificado como o quinto maior do mundo e o único que desemboca num estuário de água doce. Forma um conjunto de canais com pequenos rios e ilhas, pontuado de arvores centenárias, casas de veraneio coloridas e cercada de jardins e muitas embarcaçoes.

A viagem até lá pode ser feita de onibus, carro ou de trem - a opçao mais interessante. O passeio é oferecido por agencias a um custo médio de 120 pesos argentinos. Entretanto, como gosto de aventura e interaçao com as pessoas da terra, fiz usando o sistema de transporte normal. Seguir até a Estaçao de trens metropolitanos e de lá seguir de trem até Bartolone Mitre. Ali fica a estaçao Malipu, de onde parte o Trem da Costa. Este trem percorre 15,5 km e durante a viagem é possivel aproveitar a paisagem e quem quer pode parar em algumas estaçoes.

A surpresa foi encontrar quase todas as atraçoes locais fechadas pelo feriado. Fizemos apenas o passeio de catamaran e o sonho de comer pescado foi adiado.

No caminho de volta ficamos sabendo da morte do Nestor Kirchner, esposo da atual presidente e ex presidente. No centro da cidade, filas enorme no kioques 24 h, únicos lugares apertos. No hostel imperava um tom de pic nic, todos comendo salgadinhos com refrigerante.
A noite a cidade já estava cheia de cartazes de solidariedade a presidente. Nós descobrimos um lugar onde podiamos comer bastante (tenedor libre, dizem eles) por 35 pesos, uma farra intenacional, com toda a turma do hostel.

E fechamos à noite no Cassino Madero, dois barcos que atuavam como cassino flutuante, quandoo jogo era ilegal na Argentina, agora unidos por uma plataforma.
Um local luxuoso e com inúmeros tipos de jogos. Nós tentamos a sorte, mas ganhamos apenas experiência.

2 comentários:

Bergilde Croce 29 de outubro de 2010 07:03  

Olá,Tucha!Linda descrição desta tua viagem!Meu abraço e continua colhendo com sabedoria estes belos momentos!

RAMON(ES) 29 de outubro de 2010 09:33  

Feriado pra realização do censo, que ótimo hein, sacanagem.

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO