#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

quarta-feira, 30 de junho de 2010

12 LIVROS EM 12 MESES - JUNHO

Caim
José Saramago
Editora - Companhia das Letras, 2009





Saramago envereda-se novamente neste livro em confrontar-se com o “inquestionável” – Deus. Mas afinal que questões pode ter um ateu com um Deus que não acredita existir? No romance, com humor e ironia, Saramago questiona quem é o Deus que nos mostra o Velho Testamento.

A história bíblica de Caim, o personagem título, todos conhecem. Ele mata o seu irmão Abel por inveja, quando Deus se recusa a aceitar as oferendas dele, mas aceita as do irmão. Na versão saramaguiana, ele é rebelde, critico e condenado a eterna errância através do tempo.

E nesta caminhada nos conduz através das passagens do antigo testamento. A destruição da harmonia linguistica Babel, pois seus habitantes desafiam ao Senhor desejando chegar aos céus através de uma torre. Outros homens, mulheres e crianças são mortos na devastação de Sodoma e Gomorra. Mais morte, quando, atendendo ao pedido de Deus, Moisés ordena o fratricídio entre os judeus, recém fugidos do Egito.
Saramago vai recriando a imagem violenta e sanguinária do Deus. Mas o livro "não é um tratado de teologia, num um ensaio, nem um acerto de contas é uma ficção", diz Pilar del Rio, feita para nos desafiar, nos inquietar, nos fazer pensar, refletir sobre o tema, compartilhar idéias sobre ele.

Como Saramago, o Deus do Velho Testamento, cujo poder requer controle e obediência inquestionável, que castiga duramente a quem não obedece, me assusta. Prefiro a imagem do Novo Testamento, onde Cristo resume as recomendações divinas ao amor a Deus e aos outros como a si mesmo, estendendo o amor até mesmo aos inimigos. E torna bem aventurados os puros de coração, os que têm fome e sede de justiça, os que buscam a paz. Neste Deus eu creio
.

6 comentários:

Jota Sena 1 de julho de 2010 09:53  

Olá Tucha bom dia!

Tucha, sempre digo o ateu um dia exprimentará na propria pele o poder de Deus...Somos sabedores de vários casos, aonde aconteceu determinados fatos neste sentido.Anos atrás,foi noticiado em um tele jornal o caso, de um Empresário no ramo da pesca,que a embarcação dele deveria ei para o mar sem falta naquele dia. Mas a tripulação não estava completa. Foi então que ele assumi o lugar do empregado que faltou. Quando em alto mar a embarcação foi pega de surpresa por uma grande tempestade. Resultado;tosos perecerão, menos o proprietario que se dizia ser ateu. Ele sobreviveu e por varios dias ficou em alto mar,sobre um pequeno pedaço de madeira...Ao ser resgatado,em entrevista narrou o acontecido e publicamente diz ter sido salvo pelo poder de Deus. E algo semelhante aconteuceu com meu cunhado que também se dizia ateu.Que hoje reconhece que se Deus não tivesse tido missericordia ele minha irmã e dois filhos pequenos tinha perecidos pela força de uma tempestade.E depois do ocorrido se tornou ele um anuinciador da presença de Deus em nossas vidas.
Portanto minha amiga Tucha,estas certa em continuar a crer em nosso bom Deus. Pois sem esta proteção divina nada somos e ao lado dele nos fortalecemos.

Abraços e até +.

Bel 1 de julho de 2010 13:24  

Eu estou enrolada com o desafio literário... tenho lido bem mais de um livro por mês, mas como são técnicos, para o mestrado... nem rola fazer resenha.
Baixei o e-book de Caim, ontem. E fiquei com mais vontade ainda de ler. MAs, como??? Deus me ajude! (E eu creio que Ele não só existe, como me ama!!!)

Bjoooo

1 de julho de 2010 17:13  

Todos os ateus um dia com certeza crerão em Deus.
Tenho um filho que se diz convícto. Dizia que jamais iriamos ve-lo casado e principalmente entrando em igreja. No dia 16 de janeiro casou-se com uma linda e maravilhosa mulher. Entrou na igreja de braços dados a mim. E agora estão partindo para o exterior a trabalho. Filhos com certeza virão, e será quando ele conheecerá o poder do nosso Deus.
Adoro Saramago, mas apenas leio com os olhos de um maravilhoso escritor que foi e continuará sendo. Ainda não li esse livro da resenha mas vou comprar.
Beijos e parabéns pela brilhante resenha1

Bergilde Croce 2 de julho de 2010 14:06  

Continuo com a minha opinião de que a inteligência deve ser respeitada independentemente de uma religião ou filosofia.Boa leitura.Estou procurando algo pra ler nas férias e suas dicas são sempre ótimas.
Abraços e feliz final de semana,Bergilde

RAMON(ES) 2 de julho de 2010 14:07  

Eu to em falta com leitura de livros, só to tendo tempo de ler revistas mesmo.

Dalva 5 de julho de 2010 12:54  

Este livro também fez parte da minha lista deste ano. Gostei pelo estilo irônico do autor, mas não é dos seus melhores. Estou atrasada em postar o meu livro de junho... rsrs.

Bjs.

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO