#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

domingo, 21 de fevereiro de 2010

12 LIVROS EM 12 MESES - FEVEREIRO


EVANGELHO SEGUNDO JESUS CRISTO
AUTOR - José Saramago
EDITORA - Companhia das Letras, 2009


O que esperar de um evangelho escrito por quem se declara ateu, certamente não uma releitura dos evangelhos canônicos. Sua linha condutora está nas escrituras, a época em que a história transcorre é a mesma, entretanto o autor usa a liberdade da criação literária, com imaginação que pode chocar os cristãos mais tradicionais.

Seu texto desmonta algumas das teses bíblicas. A concepção divina do Cristo, por exemplo, cai por terra quando ele narra, logo no inicio do livro, o ato sexual de José e Maria. A narrativa traz humanidade e ao mesmo tempo dá sacralidade ao humano.

“.... Deus que está em toda parte, estava ali, mas, sendo aquilo que é, um puro espírito, não podia ver como a pele de um tocava a pelo do outro, como a carne dele penetrou a carne dela, criadas uma e outra para isso mesmo, e, provavelmente, já nem lá se encontraria quando a semente sagrada de José se derramou no sagrado interior de Maria, sagrados ambos por serem a fonte e a taça da vida, em verdade há coisas que o próprio Deus não entende, embora as tenha criado”.

A narrativa flui com simplicidade, com as características do autor, redução de pontuações e diálogos, usados sem marcação, imprimindo uma velocidade aos acontecimentos. Há também uma riqueza na descrição de detalhes que vão reforçando humanidade dos personagens.

Relatando o nascimento nos fala das dores do parto e do recém nascido:”Jesus ao nascer O filho de José e de Maria nasceu como todos os filhos dos homens, sujo do sangue de sua mãe, viscos das suas mucosidades e sofrendo em silêncio.” Não há estrela guia, os reis magos transformam-se em pastores que ofertam ao recém nascido, leite, queijo e pão, presentes mais “necessários”, naquele momento, que ouro, incenso e mirra.

O livro dá destaque a personagens pouco mencionados nos evangelhos, como José. Enfocando as crises de consciência que o atormentam por não ter alertado outros pais quando ficou sabendo da matança das crianças ordenada por Herodes. Enquanto muitos homens da vizinhança aderem a luta dos rebeldes contra o domínio romano liderada por Judas, o Galileu, ele permanece cuidando da família. Entretanto ao tentar socorrer um amigo revoltoso é preso e tem um final trágico sendo crucificado.

Outro ponto polêmico do livro é a dessacralização do envolvimento de Jesus com Madalena, eles vivem juntos, amam-se e a iniciação sexual do jovem é contada poeticamente, com pitadas de erotismo.


Agora Maria de Magdala ensinara-lhe, Aprende o meu corpo, e repetia, mas doutra maneira, mudando-lhe uma palavra, Aprende o teu corpo, e ele aí o tinha, o seu corpo, tenso, duro, erecto, e sobre ele estava, nua e magnífca, Maria de Magdala, que dizia, Calma, não te preocupes, não te movas, deixe que eu trate de ti, então sentiu que uma parte do seu corpo, essa, se sumira no dela, que um anel de fogo o rodeava, indo e vindo, que um estremecimento o sacudia por dentro, como um peixe agitando-se, e que de súbito se escapava gritando, impossível, não pode ser, os peixes não gritam, ele, sim, era ele quem gritava, ao mesmo tempo que Maria, gemendo, deixava descair o seu corpo sobre o dele, indo beber-lhe da boca o grito, num sôfrego e ansioso beijo que desencadeou no corpo de Jesus um segundo e interminável frémito."

Como muitos de nós Saramago deve ter tido uma formação religiosa onde o Cristo tem uma imagem acentuadamente divina, mítica. E ele constrói um Cristo humano, todas as angústias, contradições, imperfeições que nos caracterizam. É sem duvida uma obra de riqueza literária, cuja narrativa que nos obriga à reflexão, ao pensamento crítico, podemos especular as nossas crenças, nos afastar dos dogmas religiosos para uma fé mais consistente ou a posibilidade de não crer.

8 comentários:

RAMON(ES) 21 de fevereiro de 2010 22:46  

Esse livro parece ser interessante.

Dan 22 de fevereiro de 2010 09:43  

Oi Tucha,

Bela postagem, belo livro. Saramago é um escritor de grande sensibilidade e muito imaginativo. O melhor destes tempos.


Abraços

Renato Orlandi 22 de fevereiro de 2010 10:49  

Aaaa que legal. Eu vou ver se encontro na biblioteca da minha faculdade, capaz de nao ter, é catolica haushau.... bjoooo

Dalva 22 de fevereiro de 2010 22:49  

Tucha,

Saramago é um dos meus autores prediletos, e este livro tem a sua marca registrada. Li recentemente o seu Caim, mas acho este melhor!

Bjs.

Bel 23 de fevereiro de 2010 08:41  

Esse está na minha lista para o mês em que o desafio é ler um escritor Português. E olha que ganhei de presente tem mais de um ano, mas ainda não abri...

Bjooo

Georgia 24 de fevereiro de 2010 03:57  

É difícil dizer algo qunado crescemos com tantas idéias diferentes de toda essa história. Mas a vida tem mostrado que muita coisa poderia ter sido diferente. É esperar para ver...

Boa semana

Bjao

Bergilde Croce 24 de fevereiro de 2010 06:32  

Muitos já escreveram sobre Cristo em diferentes concepções religiosas, este autor descreve sua visão do Cristo humano,a qual eu também gostaria de ler.Vou procurar por aqui.Abraços,Bergilde(www.filhotesadorados.blogspot.com)

Lívia 9 de março de 2010 20:05  

Oi! Nossa, já faz um tempo que quero ler esse livro, agora você atiçou ainda mais a minha curiosidade =)

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO