#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

domingo, 6 de setembro de 2009

MULHERES POSSÍVEIS

Ser mulher nunca foi fácil. Nos últimos anos conseguimos conquistas em vários campos, estamos cada vez mais participantes da comunidade que vivemos e, por conta disto, temos que nos desdobrar em inúmeros papeis.
Entretanto, além de eficientes, mães amorosas, nos querem também lindas. Mulher tem que ser magra, sem celulite, cabelos maravilhosos, envelhecendo sem rugas. As referências inspiradoras são as mulheres que estão na imprensa, deusas de corpo bem delineado, rostos e cabelos fantásticos.
A pesquisa e produção de produtos de beleza são hoje uma indústria das mais lucrativas. Novos cremes e tratamentos estéticos, tintura para cabelos, produtos de maquiagem são descobertos e todo este avanço é divulgado pelas mesmas revistas que nos mostram as mulheres perfeitas.
E nós, da vida real, mesmo aquelas a quem a natureza privilegiou, temos nossos limites biológicos. Nossos corpos se transformam com o passar dos anos, a maternidade, o envelhecimento. Diante de tantos recursos, a maioria de nós sem dinheiro para tantas novidades, ficamos com a auto-estima lá em baixo.
E para completar a frustação, além dos produtos que a indústria dos cosmético que ajudam a manter a jovialidade da pele e disfarçar imperfeições, e da cirurgia plástica consegue fazer muito corpo e rosto, existe um limite. Entram em ação os muitos recursos fotográficos para “retocar”, "manipular" as imagens.
Recentemente algumas celebridade, no Brasil e no exterior, resolveram mostrar os seus rostos sem retoque.

Uma revista americana Glamour publicou a foto de uma modelo com uma barriguinha e a polêmica começou. Mulheres que se identificavam com corpo real da modelo e outras que reclamavam do corpo fora dos padrões das revistas femininas. Será que a diversidade não é possível de ser mostrada. Será que mulheres gordas, com barriguinha, cabelos brancos tem que estar fora destas revistas?

Volta a cena um dos slogans feministas " meu corpo me pertence", que na época defendia a liberdade sexual, atualizado para o debate da imagem. Mulheres defendem o direito de não transformar o seu corpo. Como por exemplo, a escritora americana Anne Kreamer que escreveu um livro defendendo a liberdade de não pintar os cabelos. Vi algumas vezes censuras a mulheres que não pintam os cabelos, de descuidadas, de envelhecidas. Parece que nos querem eternamente jovens, irreais.


Mas podemos ser apenas mulheres possíveis: gordas, magras, com ou sem estrias, cabelos grisalhos ou não. Nosso corpo tem uma história, que não deve ser perdida.


9 comentários:

dade amorim 7 de setembro de 2009 00:22  

Concordo inteiramente com você. É preciso ser quem se é, ponto final. Padrões servem para objetos, coisas, não para pessoas. E as mulheres só vão ganhar a guerra depois de ganhar a batalha contra esse tipo de patrulhamento.
Beijo, uma ótima semana pra você.

Luma 7 de setembro de 2009 02:19  

Eu postei essa foto da Luísa Brunet ampliada no blogue e acho até que fizeram o photoshop ao contrário. Ela não pode estar tão envelhecida como a imagem mostrava, até porque, com um mínimo de cuidados, o que não é o caso dela, e com a consistência de pele que ela possui, seria inviável como ela se apresentou. Sei lá, eu conheço, 'mulheres do povo' na mesma idade que ela, muito mais conservada.
Ah, mas idade também é reflexo do nosso espírito, não é? Beijus

Georgia 7 de setembro de 2009 06:13  

Eu acho que todo mundo tem o dever de se cuidar até porque faz um bem tremendo; o problema que vejo é quando as pessoas se cuidam por causa dos outros.

Uma linda semana prá você.
E se encontrou com a Bel? Conseguiu???

Beijos

Carlucha 7 de setembro de 2009 07:23  

Realmente, somos exageradamente cobradas pela sociedade e infelizmente tbém por nós mesmas! Envelhecer ainda é um problema para a mulher (como se não fosse natural!!) Temos a obrigação de nos manter sempre jovens e belas! Passei por um problema parecido qdo resolvi assumir meus cabelos brancos, foi um escândalo! Primeiro as amigas caíram de pau, depois a família, recebi duras críticas! Vc é muito nova "ainda"...
Cabelos brancos envelhecem demais... etc e tal...
Acredito que a responsabilidade seja nossa(das próprias mulheres) de mudar esse comportamento! Somos lindas em qualquer idade! Beleza é atitude!! :))
Um ótimo feriado pra vc! Bjo

RAMON(ES) 8 de setembro de 2009 09:15  

A foto dessa modelo foi bem interessante mesmo.

Dama de Cinzas 8 de setembro de 2009 18:38  

Muito bom seu post! O assunto é bom e vc escreve bem! Acho realmente muito injusta toda essa cobrança em cima da mulher. Já era hora da gente fazer algo a respeito, né?

Vou colocar seu blog na minha lista!

Obrigada por sua visita!

Beijocas

Lunna 13 de setembro de 2009 18:14  

Eu sempre penso no que estão fazendo com as mulheres e chego a questão "o que é que nós estamos fazendo conosco?" Existe a idéia (com acento mesmo) de que existe um protótipo perfeito, maravilhoso e bla bla bla...
Rugas, estrias, dobrinhas e tudo mais. Ok? Preocupa-se tanto com pequenas coisas e o que realmente importa fica de lado...
Enfim, viva a superficialidade. Beijos

Anônimo,  26 de outubro de 2009 21:07  

alquem teve a coragem de contar o que sente, e realmente devemos nos gostar, viver e ser feliz do jeito que somos.
VALEU PELO RECADO!

Beth 7 de março de 2010 14:40  

Fiquei encantadacom o comentário,devemosser reais e não irreais,para quando es.tivermos sozinhasnão nos sentirmos culpadas e tristes.
Tenho 42 anos estou um pouco acima domeu peso, e não mesinto inferior em nada, sou umamulherinteligente com um bom nível cultural, faço outro curso, ciências contábeis,e vivo muito bem comos meuquilinhos a mais.
Beijos.

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO