#navbar-iframe { height: 0px; visibility: hidden; display: none; }

sábado, 26 de outubro de 2013

VIAJANDO NA VIAGEM



Existem muitas maneiras de planejar uma viagem. Podemos simplesmente escolher o destino e delegar tarefa a um profissional, o agente de viagem, e deixar que ele trace o roteiro, reserve passagens, hotéis e tour. Depois é só fazer a mala e embarcar. Tanto se pode ir numa excursão, com um grupo de pessoas que você nunca viu antes, ou ir com o seu parceiro ou grupo de amigos. É prático, sem dúvida, pode ser econômico também, pois grupos conseguem melhores preços em hospedagem e passagens. 

Mas podem também ser uma "roubada", com situações tipo: gente chata entre os companheiros de excursão, tempo muito curto para ver um museu que você sonhava, um show com danças típicas junto com um jantar com comida de gosto duvidoso por um preço astronômico.

Já fiz viagens assim, acho são essenciais quando não falamos a língua do país, são bem mais tranquilas e seguras. Mas acredito que o prazer de viajar pode ser ampliado quando assumimos o "comando", ou seja, quando planejamos a viagem.

Para isto, guias, revistas especializadas e em tempos de internet os sites e blogs trazem experiências bem diversificadas e nos ajudam a escolher o roteiro, hotéis, passeios. Sem falar que através da rede é possível comprar as passagens, reservar hotéis, agendar visitas a museus, comprar ingressos daquele musical, escolher passeios com melhores preços. Dá um pouco mais de trabalho, sem dúvida, mas  a viagem vai ter a sua "cara".  

E o que estou fazendo agora, viajando na viagem. Foram horas zapeando na rede lendo, escolhendo e traçando o roteiro para uma sonhada viagem. Estamos indo retornando ao Chile. 

O Chile, lembram das aulas de geografia, é um dos dois países que não fazem fronteira com o Brasil, e tem uma forma bem diferente, é comprido e estreito.

O poeta Neruda resumiu com propriedade ao descrever seu país natal: "Chile uma louca geografia". Tem praias ao longo da sua costa banhada pelo Pacífico, tem lagos deslumbrantes, tem as maiores geleiras do continente no seu extremo sul e ao norte  e ao norte o lugar mais seco dos planetas o deserto do Atacama.
 E é para lá que estamos indo e de "brinde" alguns dias em Santiago.

Pode parecer exótico para alguns visitar um deserto, enfrentar temperaturas extremas (muito frio à noite, muito quente durante o dia) , além do clima árido, a altitude (3000 a 4000 metros acima do nível do mar) que torna o ar rarefeito. Mas todos os amigos que já forma dizem que o lugar é incrível. 

Vamos contar como sobrevivemos, a exemplo de outros viajantes. Aguardem. Não em tempo real, pois acredito que o tempo de viajar deve ser dedicado a viagem. Aguardem.

3 comentários:

Marcio Melo 26 de outubro de 2013 13:26  

Também já participei de viagens assim "por pacote" é realmente cômodo mas você disse tudo, seguir um roteiro as vezes pode ser chato.

O mais legal é você montar a sua viagem, aliás, esse primeiro passo é também muito gostoso.

Também sou adepto do curtir a viagem e esquecer um pouco o mundo online.

Agora, Deserto do Atacama, bom, vou esperar o seu relato na volta mas acho que é demais pra mim ehehe

Tucha 26 de outubro de 2013 20:28  

Pois é Marcio também pensei um bocado antes de decidir, mas o meu lado hyppe falou mais forte e vamos lá.

Bergilde 5 de novembro de 2013 04:45  

"...o tempo de viajar deve ser dedicado à viagem."Amei a conclusão de uma reflexão sobre um argumento muito fascinante,mas que em tempos atuais só planejando e muito bem podemos alcançar os objetivos esperados.A gente se diverte já nessa preparação.
Grande abraço!

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO